• AutoMotori

Aston Martin DB5: O carro do agente James Bond está de volta

Atualizado: Jan 11

55 anos depois do último DB5 a Aston Martin fabrica edição limitada do esportivo

Não dá pra negar que existem algumas combinações que são simplesmente perfeitas. E não é só com a comida que elas funcionam. Para os fãs de cinema e dos automóveis é impossível imaginar qualquer cena de perseguição com o agente secreto James Bond sem estar em companhia de um Aston Martin.


James Bond (Sean Connery) o mestre-armeiro "Q" (Desmond Llewelyn) na cena em que o agente encontra com o DB5 pela primeira vez, no filme Goldfinger, de 1964.


A parceria entre esses dois ícones britânicos começou nos anos 60, mais precisamente em 1964, no segundo filme da série “Goldfinger”. Nele, o agente secreto recebe pela primeira vez do mestre-de-armas (quartermaster em inglês) Q, as chaves do Aston Martin DB5.


O carro cheio de gadgets tecnológicas e armamentos, que eram incríveis para a época, foi o terror dos vilões do filme. Tinha metralhadoras que saiam das lanternas dianteiras, assento do passageiro ejetável e escudo a prova de balas. Nas perseguições, um dispositivo nas lanternas traseiras jogava óleo na pista e ainda soltava uma nuvem de fumaça. Tudo para se livrar dos insistentes perseguidores. Pobres figurantes...


O DB5 fez tanto sucesso que apareceu no filme seguinte “007 contra a Chantagem Atômica”(1965), fez aparições em vários filmes como “Skyfall” (2012) e “Spectre”(2015).

O clássico esportivo também foi homenageado no filme mais recente da franquia “No time to die”(2020), que teve a estreia adiada por conta da pandemia de coronavírus. A Aston Martin confirma que os modelos DB5, V8 Vantage, e Valhalla estão no longa-metragem.


Apelidado de 'o carro mais famoso do mundo' e conhecido por estar entre os modelos clássicos Aston Martin mais desejáveis ​​e procurados, o DB5 tornou-se sinônimo de estilo atemporal entre os carros esportivos. Menos de 900 exemplares desse GT foram construídos entre 1963 e 1965.


De volta às ruas


Deu para perceber que o DB5 ganhou tanta fama que fica difícil imaginar o 007 longe dele, não é? Pois é, e não é que a Aston Martin resolveu realizar o sonho de quem sempre quis ter um DB5 pra chamar de seu e ainda ganhar uma boa grana?


Agora, 55 anos após o último DB5 novo sair elegantemente da linha de produção na então base de manufatura global da Aston Martin em Newport Pagnell, o trabalho está em andamento em um número estritamente limitado de novos modelos DB5.



A empresa resolveu reativar a linha de produção do modelo quase sexagenário para construir apenas 25 unidades. Para fazer os carros de forma artesanal a empresa gasta em média 4.500 horas na fabricação de cada exemplar.


Os carros são reproduções fiéis e autênticas, meticulosamente detalhadas do DB5 do filme com alguns aprimoramentos para garantir a qualidade de construção e a confiabilidade. Todos os carros da edição batizada pela Aston Martin de “DB5 Goldfinger Continuation”, são na corp prata, batizada pela marca de Silver Birch, exatamente como o original do filme.





Gadgets do carro do filme!


O mais legal é que todos os carros trazem os dispositivos do carro usado no filme, criados pelo supervisor de efeitos especiais dos filmes de Bond, Chris Corbould.

A lista de gadgets inspirados no DB5 do 007 inclui os sistemas que produzem cortina de fumaça na traseira, jatos de óleo (que no modelo foram substituídos por água), placas rotativas dianteiras e traseiras (placas triplas), “metralhadoras” simuladas, escudo traseiro resistente a balas, aríetes nas rodas dianteiras e traseiras e painel removível do teto do assento do passageiro, que é opcional.


Do lado de dentro vem o melhor! Assim como o carro do filme, uma tela que fica escondida por uma cortina no painel reproduz o rastreador de radar. Tem ainda telefone embutido na porta do motorista, armas reprodução de armas escondidas debaixo do assento e o painel de comando de todos os armamentos escondido no apoio de braço. Para quem quiser, dá ainda para ativar todas as gadgets pelo controle remoto.




Carros originais


Os carros apresentam painéis externos de alumínio no estilo DB5 originais, ocultando uma autêntica estrutura de chassi de aço macio DB5. Sob o capô há um motor de seis cilindros em linha de 4.0 litros, de aspiração natural, três carburadores SU e radiador de óleo. Esse motor é capaz de gerar cerca de 290 cavalos de potência e é acoplado a uma transmissão manual ZF de cinco velocidades no DB5 de tração traseira, que também possui um diferencial de deslizamento limitado mecânico.



Mas alguns melhoramentos deixaram o carro mais seguro. Em lugar dos freios a tambor, o novo DB5 recebeu freios a disco hidráulicos servo-assistidos do tipo Girling, direção pinhão e cremalheira - que não possui assistência - e uma configuração de suspensão composta por bobina sobre molas e amortecedores com barra estabilizadora dianteira e suspensão traseira com eixo dinâmico.




O preço sugerido do modelo é de £ 2,75 milhões, valor equivalente a cerca de R$ 20 milhões, sem contar impostos. Além do mais, o modelo não tem garantia e, dependendo da legislação de trânsito do País do comprador, o carro não poderá circular em via pública, devido à ausência de equipamentos de segurança obrigatórios.


Fazer o quê...


Confira a galeria de imagens do novo DB5 Goldfinger Continuation




©Joaquim Rimoli | AutoMotori 2021

36 visualizações0 comentário

© 2021 AutoMotori